Várzea do Poço (BA) Brasil

Várzea do Poço é um dos município pertencente ao Território de identidade Bacia do Jacuipe, município brasileiro do estado da Bahia. Sua população contada em 2010 é de 8.661 habitantes, segundo último censo demográfico.

Prefeito: MANOEL CARNEIRO FILHO (PCdoB)
Aniversário: 30 de setembro
Fundação: 30 de setembro 1953
Gentílico: varzeapense

Localização e Geografia:
A cidade está localizada na 13ª micro-região de Jacobina e na mesorregião do centro norte baiano, com 253 km distante da capital, rodovias de acesso BA-417, BR-324 e estrada vicinal, CEP 44715-000, voltagem 220, DDD 74, tendo uma área de 221,3 km², limitando-se a Leste com o município de Serrolândia, a Sul com Mairi e Piritiba, a Oeste com Miguel Calmon e a Norte com Jacobina.

Potenciais Turísticos:

Rio Jacuípe
O Rio Jacuípe é uma das maiores riquezas naturais que temos, ele corta várias fazendas da região. Para preservar mais esse patrimônio foram feitas várias barraginhas uma delas é a barraginha de Divo, que fica a 13 Km da cidade (Próximo ao povoado de Barra Nova) que é muito visitada. As pessoas tanto do município quanto das cidades vizinhas costumam passar o dia ou acamparem por lá com suas famílias. Infelizmente o Rio Jacuípe como outros está sofrendo com o desmatamento e a poluição nas suas margens, por isso a Secretaria de Meio Ambiente vem desenvolvendo um projeto de reflorestamento nas margens do rio, com a parceria da Secretaria de Educação e Cultura e juntamente com professores, alunos e comunidade.

Clube Campo
O Clube Campo Alegre está situado na Avenida Antônio Carneiro, foi fundado no ano de 1986, é uma sociedade sem fins lucrativos, situado na Avenida Antônio Carneiro- centro, uma área de lazer com piscinas, campo socity, campo de vôlei, um espaço com palco e pista de dança, etc...aberto finais de semana para comunidade e visitantes.
Aspectos demográficos:
Densidade demográfica 34,0 habkm², altitude de 462 metros. Sua população atual é de 8.908 habitantes, dividindo-se em 5.810 na área urbana e 3.098 na zona rural. O município conta com quatro povoados – Nova Esperança, Barra Nova, Itapoan e Itepemirim.

Aspectos sócios-econômicos:
Principais atividades econômicas
Sua economia está baseada na agricultura familiar, produção artesanal, casas comerciais, pecuária, laticínio, postos bancários entre outros. A renda per capita do município é de 2.671,00, o PIB 18.243,00 e o IDH é de 0,665.

Produção/Comercialização
Laticínio Boa União: É uma propriedade privada, situada na fazenda Boa União, município de Várzea do Poço.
Fábrica de Polpa de Frutas: Mais um orgulho para o município, a fábrica de Polpa de Frutas inaugurada em novembro de 2009.
Fábricas de doces de leite
Fábrica de bonecas de Pano
Casa de Mel da Laginha

Olaria
Em nosso município há várias olarias mais a de Fernando que se localiza em sua Fazenda próximo ao povoado de Itapoã, fabrica o melhor tijolo da nossa região, porque ele é feito com água doce e é mais pesado do que os outros. A olaria é uma oportunidade de emprego para alguns moradores daquela localidade.
Identidade cultural:

Origem do nome:
A cidade de Várzea do Poço foi fundada nos terrenos de uma fazenda à 42 Km próxima a cidade de Miguel Calmon, que pertencia ao Senhor Joaquim Pemba , nesse mesmo terreno existia uma lagoa que deram o nome de “Várzea” (campina cultivada).Com o passar dos anos foram chegando pessoas de outras localidades, a procura de terras para desbravá-las. Mais tarde, depois do desbravamento na mesma localidade já denominada Várzea, surge o respectivo “Poço”(cavidade que tem água), daí ficou conhecida como Várzea do Poço.

Histórico:
A cidade de Várzea do Poço foi fundada nos terrenos de uma fazenda à 42 Km próxima a cidade de Miguel Calmon, que pertencia ao Senhor Joaquim Pemba , nesse mesmo terreno existia uma lagoa que deram o nome de “Várzea” (campina cultivada).Com o passar dos anos foram chegando pessoas de outras localidades, a procura de terras para desbravá-las. Mais tarde, depois do desbravamento na mesma localidade já denominada Várzea, surge o respectivo “Poço”(cavidade que tem água), daí ficou conhecida como


Várzea do Poço.


A partir de então foram multiplicando as condições na fazenda, em setembro de 1920 Felipe Cassiano ( Pai de Juvenal Cerqueira Sampaio) e Afrânio edificaram as primeiras residências, em seguida Joaquim Pemba, sua família e outros, foram construindo mais casas, a primeira casa em Várzea do Poço esta localizada na Praça Edvaldo Valois. O tempo passa, foram cedidos terrenos por Felipe Cassiano e Joaquim Pemba para os que quisessem se estabelecer.

Terrenos como o da Praça Edvaldo Valois (praça principal da cidade), onde foi construída a primeira igreja , que até hoje é usada para celebrações e muitos outros foram cedidos por eles. Muitos contribuíram para o aglomerado humano, era o arraial que se formava, cheio de esperança no futuro. Como de costume a própria iniciativa antecipava-se ao poder público, sem nenhum planejamento, porém livre e espontânea. A disciplina a técnica, o alinhamento, o urbanismo que viessem depois... Mas o que era importante – a localidade crescia como um comércio ainda insipiente construído mais de casas de pau-a-pique, ranchos e pequenas vendas que revendiam aguardente e até mesmo atendiam viajantes. As notícias iam espalhando-se trazendo retirantes de outras localidades para o povoado que se formava.
Com o crescimento da população aconteceu a primeira feira livre em 1929. O saudoso Juvenal Cerqueira Sampaio (ex-prefeito) saiu avisando nas fazendas e casas da região que iria acontecer a primeira feira na sexta-feira (dia mantido até hoje), debaixo de um pé de Calumbí na praça principal ( em frente à agencia de Correios – hoje). Por essa razão ficou conhecida como “a feira do pau” mas a feira do pau não durou muito tempo, o senhor Ariosto Soares junto a outros cidadãos tiveram a criatividade de construir um estabelecimento chamado “Barracão”, era um telhado de madeira arredondado que além da feira servia de abrigo para os tropeiros e outras pessoas que vinham com cargas, neste mesmo período foi construída também a primeira bodega pelo senhor Manoel Guilhermino – conhecido como Lulú. Com o aparecimento da feira livre era preciso alguns meios de transportes para a compra e venda de mercadorias, elas passaram a ser transportadas por meios de tração animal como carro de boi, carroças de burro etc., mais não foi suficiente.
Os Senhores Dabê, Antônio Raimundo e Louzinho Lima, resolveram associar-se para comprar um meio de transporte mais rápido e seguro, surge assim em 1929 o primeiro caminhão Ford a gasolina em Várzea do Poço. Com o passar do tempo, foram surgindo as monarêtas a motor e outros meios de transporte.
Desde o início de toda essa história já existia o tanque da nação, onde as pessoas bebiam sua água e lavavam roupas. O nome “nação” surgiu porque servia ao povo. No arraial o atendimento médico era muito difícil, de vez em quando o Doutor Paiva do Riachão do Jacuípe vinha prestar atendimento à comunidade, seus serviços eram substituídos pelo farmacêutico Ariosto e pela parteira Valeriana que ajudava as mulheres na hora do parto.

Pensando em atender as necessidades educacionais da população, foi construída a primeira escola que oferecia apenas o ensino primário. As primeiras professoras dessa mesma escola foram Ênia e Crencina.
Logo em seguida surgiram também os meios de comunicações. No período de 1942, a “Sociedade Cultural de Campo Alegre” com a cooperação de todos, organizaram um serviço de alto-falante tendo como primeiro locutor, Valdomiro Ramos. O alto-falante modificou a vida de muitos moradores da época; o estúdio servia como salão de festa. Em 1948 foi realizado o primeiro carnaval no depósito do farmacêutico Ariosto Soares, onde todos compareceram fantasiados. O que mexeu mesmo como os moradores foi o aparecimento do primeiro rádio, em 1949 comprado por três moradores do arraial. Esse era instalado num cubículo, situado na praça Edvaldo Valois, mas como a curiosidade de todos era imensa, o quartinho não comportava muita gente, foi preciso marcar um horário para os que quisessem ouvi-lo e admira-lo. Depois de muitos dias de uso, sua bateria esgotava, era preciso 4 h ou mais para carregá-la. O carregamento era feito com uma das chamadas casas de farinha, o movimento da roda era imprimido por meio de manivela e com ajuda braçal daqueles que se divertiam aproveitando a ocasião. Neste mesmo ano, foi realizada uma grande festa no barracão com desfiles de rainhas, princesas e outros espetáculos para a inauguração da luz a motor, tendo como responsável o senhor João Motorista que ligava e desligava o motor e organizava também as brincadeiras infantis e o futebol.

Com todos esses festejos, Várzea do Poço foi crescendo, resolveram então mudar o seu nome para “Nova Floresta”, esse durou pouco tempo, encontraram outro nome o de “Campo Alegre”, esse durou aproximadamente 4 a 5 anos.
Tudo isso foi suficiente para que as autoridades da época pela Lei Estadual nº 628 de 20/12/1953 elevasse o arraial a povoado de Campo Alegre e elevado à categoria de cidade em 1962, desmembrando do município de Miguel Calmon com a denominação de Várzea do Poço, com uma população estimada de 1.000 habitantes. Na mesma época, Várzea do Poço começou a expandir-se no setor comercial, foi servida pela Farmácia São Roque que prestou importantes serviços a comunidade, foi surgindo também às padarias e outros estabelecimentos comercias. A agricultura baseava-se na mamona, mandioca, milho, feijão, sisal e ouricuri e esses produtos eram exportados. A criação de bovinos era fonte de renda na pecuária.
Com o crescimento do povoada, chegaram à conclusão da necessidade de ter um administrador, para que fosse o legítimo representante do povo e concluir suas reivindicações. Surge o primeiro candidato único ao cargo de prefeito, Antônio Lopes Filho. Em 1962 é empossado o primeiro prefeito eleito pela Arena (Aliança Renovadora Nacional). Mandatos

Antônio Lopes Filho ____________________ 1963 a 1967
Juvenal Cerqueira Sampaio_______________1967 a 1971
José Andrade de Almeida________________ 1971 a 1973
Ednaldo Cerqueira______________________1973 a 1977
Juvenal Cerqueira Sampaio_______________1977 a 1983
Antônio Carneiro_______________________1983 a 1988
Terêncio de Carvalho Lopes Lopes_________1989 a 1993
Antônio Carneiro_______________________1993 a 1997
Terêncio de Carvalho Lopes______________1997 a 2000
César Nunes__________________________2000 a 2009
Paulo José Ferreira_____________________2009 a 2012
Paulo José Ferreira_____________________2013 a 2016

Principais manifestações culturais:
As características culturais estão compreendidas em festas de reis, bandas de pífanos,samba de roda, semana cultural, festejos juninos, feira livre, vaquejada, festas de padroeiros e com maior destaque o carnaval, tendo como feriados municipais o dia 30 de julho – aniversário de emancipação política e semana cultural, 04 de outubro – padroeiro da cidade.
Patrimônio Cultural - Material
Prédios públicos
Prefeitura Municipal de Várzea do Poço.
Prédio construído na década de 1960, na rua Nabor Lima Rios, 17, no Centro;


Casas antigas
Casa de Zezinho - A casa de Zezinho(ex-prefeito) está localizada na praça Edvaldo Valois no centro, é umas das casas mais antigas do município, mantém sua estrutura até hoje, nas festas culturais ela é lembrada como herança cultural pois é montado um museu com peças antigas das pessoas que já faleceram ou quando eram crianças, é um momento de relembrar do passado, das crianças matarem a curiosidade e conhecer peças como o ferro à brasa, a máquina de costura manual, as camas de campanhas, até mesmo o pinico sob um tapetinho de fuxico... mesmo quando é desmontado o museu as pessoas continuam chamando-a de museu.


Para crianças e adolescentes e outras idades é muito gratificante ter esta casa com seu estado conservado original é uma relíquia.
Sítio Paraíso - O Sítio Paraíso é uma propriedade privada que pertence ao senhor Étore Paraíso, conhecido por Paraíso. O imóvel está localizado na Praça Tibúrcio Sobrinho Rios-Rua da Saudade. “Era um sonho meu ter uma casa bem ampla, estou muito feliz em ter a casa do meu jeito nós iniciamos a obra em 1988 e terminou por volta 1992, assim que ficou pronta, quase que não acreditei, tem uma bela paisagem com muito verde. As crianças quando passam se sentem em um parque ecológico quero deixar para os meus netos, afirma o senhor Paraíso”. Casa do Senhor Genitor - É uma casa histórica situada na fazenda Belo Horizonte foi construída em 1930 pelo pai do Senhor Genitor que até hoje conserva esse patrimônio. “De lá podemos avistar toda cidade e para mim a casa velha é muito importante, pois foi lá que nasci, mim batizei, aprendi a ler e passei toda minha vida”. Hoje a casa pertence a minha filha Ester Neta. Afirma Senhor Genitor.


Casa de dona Mariazinha - É uma casa muito antiga, por ter sido uma fazenda quando construída até pouco tempo tinha um curral e uma lagoa, mas com o crescimento daquela comunidade retiraram o velho curral, a lagoa ainda está la mas não podemos avistá-la como antes pois construíram muitas casas. Esta propriedade tem sua estrutura ainda conservada com uma varanda espaçosa onde as crianças e adolescentes passam o tempo brincando e papeando, é de costume também ficarem vários idosos sentados nos bancos ou tamboretes contando causo, o piso ainda é de pequenas lajotas, o fogão a lenha sem uso mas ainda continua lá, panela de barro, se toma água no pote ou moringa, tem um espaço que era uma venda com suas prateleiras de madeira e o enorme balcão . Para embelezar mais a paisagem desta casa a prefeitura construiu um jardim onde o nome da praça é “Manoel Rodrigues de Oliveira” (esposo falecido) de dona Mariazinha. O ex-prefeito César Nunes já tentou compra-la para transforma-la em um museu, mas dona Mariazinha não pensa em vende-la por dinheiro algum.
Campo do Gado/Vaquejada
Eventos realizados: Vaquejada e comercialização de bovinos e equinos.
Parque de Vaquejada Aristides Rios
O Parque Aristides Rios é uma propriedade privada onde acontece uma vez por ano geralmente no mês de setembro 3 dias de vaquejada com festa dançante. Está situado no condomínio Canto dos Pássaros - Bairro Alto Alegre.

Acesso a internet
Públicos: 1 Telecentro e 1 CDC – Centro Digital de Cidadania
Particulares: 6 Lan Houses


Biblioteca
A Biblioteca Municipal José Bonifácio, está situada na Rua Nabor Lima Rios nº 10 no centro, térreo do prédio da Câmara Municipal. Foi fundada em 1972, possui um acervo de 6.390 volumes, funciona de segunda a sexta-feira de 8:00 às 12:00 horas e de 13:00 às 17:00 horas.

Clubes
Clube Campo Alegre - Situado na Avenida Antônio Carneiro, foi fundado no ano de 1986, é uma sociedade sem fins lucrativos, situado na Avenida Antônio Carneiro- centro, uma área de lazer com piscinas, campo socity, campo de vôlei, um espaço com palco e pista de dança, etc... aberto finais de semana para comunidade e visitantes.

Sociedade Beneficente Cultural (SBC) - Situada na Praça Djalma Suzart, também é uma estrutura muito antiga, foi aqui no SBC que se realizou muitos carnavais, festas, e até hoje o matinê das crianças e a famosa boate a maior diversão que temos todos os domingos, mantendo a tradição do som mecânico.

Arquivo
Arquivo do Fórum Josefa de Carvalho Lopes. Rua Nabor Lima Rios, s/n Centro; Data de Criação: 17/02/1992; Funcionamento: Segunda a sexta-feira, de 8:30 às 11:30 horas e de 13:30 às 18:00 horas.
Acervo: Cartorial; Mantenedor: Instituto Pedro Ribeiro de administração Judiciário.


Igrejas
A Paróquia São Francisco de Assis, foi construída no século XX pelo memorável Padre Paulo, em 1964. Está situada na Praça José Gonçalves, s/n Centro. É mantida pela Diocese de Rui Barbosa em parceria com a prefeitura municipal. A mesma realiza trabalhos sociais muito importante para o nosso município como: A Pastoral da Criança que vem dando apoio aquelas famílias de risco, fazendo acompanhamento de crianças com pesagem, palestras, remédios alternativos, em especial a multe mistura... por causa da pastoral o índice de desnutrição das crianças do município acabou. Além da Pastoral da Criança tem também a Pastoral do Menor que acolhe crianças e adolescentes para um reforço escolar.
Igreja Nossa Senhora da Conceição construída nos meados de 1920, cartão postal da cidade, está situada na Praça Edvaldo Valois – centro. Por muito tempo foram realizadas atividades religiosas, após a construção da igreja matriz, ficou um pouco esquecida. Alguns anos atrás um grupo de fiéis se reuniram para fazer a reforma básica e assim reativá-la.


Igreja Católica São José, está situada na Avenida Nova Esperança, Bairro Alto Alegre. A Igrejinha como todos carinhosamente chamamos, além de ser um lugar de oração, também é usada pela Pastoral da Criança para realizar pesagem e reuniões.
Igreja Adventista do 7°Dia; Rua Edeltrudes Brasileiros Rios, Bairro Alto Alegre, ano de Criação: 2008;
Congregação Batista, Rua Antonio Oliveira Rios, centro.
Congregação Cristã do Brasil, Avenida Juscelino.
Assembleia de Deus, Rua Edeltrudes Brasileiro Rios, Bairro Alto Alegre.
Igreja Presbiteriana, Rua Durval Gama, 17, Centro. Mantenedor: Paulo Tarciso de Santana Marques; Criada no Século XX.
Igreja Adventista do 7° Dia, Rua Castro Alves.

Igreja Assembleia de Deus, Avenida Juscelino Kubitschec.

Igreja do Evangelho Quadrangular, Rua Durval Gama.

Igreja Católica Santa Luzia, Fazenda Gitira.

Igreja Católica Nossa Senhora Aparecida, Povoado da Laginha.

Igreja Católica São Sebastião, Povoado de Itapoan.

Igreja Assembleia de Deus, Povoado de Itapoan.

Igreja Adventista do 7° Dia, Povoado de Itapoan.

Igreja Presbiteriana, Povoado de Itapoan.

Igreja Católica Santa Luzia, Povoado de Barra Nova.

Congregação Cristã do Brasil, Povoado de Barra Nova.

Assembleia de Deus, Povoado de Barra Nova.

Igreja Católica Santo Antônio, Povoado de Nova Esperança.

Cristã do Brasil, Povoado de Nova Esperança.

Assembleia de Deus, Povoado de Nova Esperança.


Monumentos O principal Monumento Histórico é a Igreja Católica São Francisco de Assis, obra construída pelo memorável Padre Paulo em 1964. Está situada na Praça José Gonçalves, centro.

Igreja Nossa Senhora Imaculada da Conceição a primeira igreja construída na cidade nos meados de 1920. Está localizada na praça Edvaldo Valois no centro da cidade.
Em 1999 foi construída a imagem de Nossa Senhora Imaculada da Conceição, tornando assim a praça Edvaldo Valois mais bela e atrativa. Praças
Praça Edvaldo Valois - O centro da cidade alguns anos atrás não tinha muita coisa, tinha um barracão no meio da praça, para as pessoas venderem alimentos naturais, (tinha 8 postes e era de telha) onde acontecia a feira livre pois tudo isso mudou e foi construída a bela Praça Edvaldo Valois. Nesse local acontece os eventos culturais e onde todos os jovens, adolescentes, crianças e idosos se concentram para papear, brincar e se divertir.
Largo Manoel Rodrigues de Oliveira (Mané Bengo) - O Largo Manoel Rodrigues de Oliveira – Jardim de Mariazinha está situado no Bairro Alto Alegre, é um espaço muito tranquilo onde os adolescente se reúnem para papear, brincar e namorar. É uma área de lazer em especial para as crianças.

Praça Ariosto Soares da Cunha - A praça Ariosto Soares da Cunha também chamada de “Praça da Preguiça”, foi construída na gestão do prefeito José Andrade “Zezinho”por volta de 1971 a 1973. A praça da preguiça assim chamada por que homens e mulheres ficam debaixo de uma grande árvore para papearem e se refrescar do calor. Blocos carnavalescos e procissões saem de lá, além de ser trajeto de grandes festas políticas.

Praça Edeltrudes Brasileiros Rios - A Praça Edeltrudes Brasileiros Rios, está situada na entrada principal da cidade, além do Posto de combustível Pereira Alves(posto de Divo), tem um ponto de ônibus onde as pessoas ficam esperando condução para se deslocarem para outras cidades. Mas o mais interessante é a quantidade de idosos que se reúnem por lá “no ponto de ônibus” e passam o dia se divertindo jogando dominó, tocando pífano, cantando samba rural e contando causo.

Praça Ednaldo Lima - Terminal Rodoviário
Em 1988 foi construída a Praça Ednaldo Lima juntamente com o terminal rodoviário.
Praça Tibúrcio Sobrinho Rios (Sr. Filhinho Rios), está situada na saída da cidade em sentido para Piritiba e Mairi.
Praça Djalma Suzarte - A Praça do Quiósque é um espaço de lazer e diversão, nos domingos ela fica isolada por correntes nas entradas das ruas que dá acesso a mesma e os pais podem deixar as crianças brincarem a vontade, há muitos anos a maior atração é o matinê das crianças que acontece na Sociedade Beneficente Cultura (SBC), que fica localizada nesta Praça.

Praça José Gonçalves (Zé Homem) - Mais conhecida como “o calçadão” é um lugar tranquilo , onde as pessoas se encontram à noite para conversar e aos domingos para irem à igreja.

Praça José Vilaronga Lima (Zé Preto), nesta praça é realizada a Feira Livre.

Largo Jaime Henrique da Silva (Favela 38).

Largo Joaquim Boa Ventura Mendes (Canto dos Pássaros).

Largo Pedro Jenuário Filho (Canto dos Pássaros).

Praça Castro Alves. É aqui onde se arma circos e parques.

LaArgo da Nação; (Antigo Tanque da Nação)

Câmara de Vereadores
Situada na Rua Nabor Lima Rios, a Câmara de Vereadores do Município antigamente era um bar grande feito de adobe, como era no centro da cidade derrubaram e fizeram a biblioteca no térreo e a Câmara no Primeiro andar. A trajetória do Poder Legislativo de Várzea do Poço antecede à criação do próprio Município. Antes as pessoas iam se divertir, hoje os vereadores discutem e decidem por nossa cidade, além do auditório que tem capacidade pra 70 pessoas, podemos ouvir as discussões pelos altos falantes da câmara que são virados para a rua.

Auditórios ou Salões para Convenções
Salão Paroquial São Francisco de Assis. Praça José Gonçalves, s/n Centro. Capacidade: 300 pessoas

Auditório da Secretaria de Educação, Rua Durval Gama. Capacidade: 50 pessoas
Matadouro Municipal
O Matadouro Municipal está situado na Praça Tibúrcio Sobrinho Rios ( Rua da Saudade).

Ginásio/Estádio/Quadra Esportiva/Campo de Futebol

Estádio Municipal Plácido Paulo de Oliveira
Em 11 de agosto de 1965 foi comprado o terreno que pertencia ao Sr. Pedro Tibúrcio Barros Rios, para a construção do Estádio. O mesmo está localizado na Avenida Presidente Juscelino Kubitscheck, s/n Centro, com capacidade para 3.000 pessoas.
Quadra de Esporte Municipal I
Praça Ednaldo Lima, s/n Centro. Data de Criação: 23/06/1988. Capacidade: 800 pessoas.
Quadra de Esporte Municipal da Escola Yêda Barradas Carneiro
Rua Augusto Rodrigues, Data de Criação: 30/07/2009; Capacidade:400 pessoas.
Quadra Poliesportiva coberta
Rua Durval Gama, Capacidade:2.500 pessoas
Patrimônio Cultural - Imaterial):
Brincadeiras Infantis


Cirandas, capitão, gude, pipa, pula corda, amarelinha. Todas essas brincadeiras ainda existem, não com frequência como antigamente, é da cultura do município aparecer essas brincadeiras como uma fase, todos os anos durante um período de tempo ela se manifesta naturalmente. Também os quebra-potes nas comemorações juninas das escoAlas ou comunidades.

Feira Livre
A primeira feira livre de Várzea do Poço foi no ano de 1929. Felipe Cassiano e Paulo Cassiano pediu para o saudoso Juvenal Cerqueira(Ex- prefeito) sair avisando nas fazendas e casas da região que iria acontecer a primeira feira na sexta-feira (dia mantido até hoje), mas com endereço diferente é lá no centro de abastecimento na praça José Viralonga, dando início as 4 horas da manhã e se estendendo até às 14 horas. Reunindo centenas de pessoas de todas as idades, raças, cores e credo.

A comercialização não tem limites de idade, tendo a responsabilidade filhos ajudavam os pais, avós, parentes e todos trabalhavam com grande participação de crianças e adolescentes, que fazem mandados para ganhar uma ou duas trocas que ajudam as suas famílias. Com uma diversidade muito grande de produtos a nossa feira é muito frequentada por pessoas de outras cidades.

Carnaval
O carnaval de Várzea do Poço já acontecia antes de tornar-se cidade. As pessoas já faziam carnaval em casa. Em 1964 após emancipação o Senhor Ariosto Soares da Cunha, realizou o 1º carnaval no antigo galpão de sua propriedade. As pessoas se caracterizavam de mortalhas de juta e descalços, por três dias com muita alegria, frevo, lança-perfume , serpentina, crianças fantasiadas. Logo no seguinte ano resolveram realizar o evento no SBC (Sociedade Beneficente Cultural) neste mesmo ano por iniciativa do Senhor Étore Paraíso conhecido por Paraíso surgiu o primeiro bloco “ A Turma do Lopeu” com 46 componentes afirmou seu Paraíso, mas esse bloco só saiu um ano e logo em seguida surgiu o “Bloco Bafo”com oito componentes, em homenagem ao Bloco Bafo de Onça do Rio de Janeiro, saiam arrecadando bebidas nas casas as camisas eram de saco e as calças de juta chapéu de palha e batiam tambores, menos Chevrolé que servia para carregar os sacos com bebidas e cantavam uma música feita pelos componentes. Assim a festa foi virando tradição, reconhecido como o melhor carnaval da região, tendo a participação cada vez maior das pessoas do município e cidades vizinhas portanto sentiu-se a necessidade de transferir a mesma para um local maior que comportasse a todos. E com o apoio da prefeitura, apresenta-se anualmente no mês de fevereiro durante três dias dando início ao sábado com a lavagem da praça, tradicionalmente se concentra na Praça Edeltrudes Brasileiros Rios-Bairro Alto Alegre, com carros pipa molhando os foliões, baianas com seus vasos de flores e água de cheiro, percorrem um trajeto de mais ou menos um quilômetro passando pela Avenida Juscelino, Rua Nabor Lima Rios e finalmente na Praça Edvaldo Valois, local onde é realizado o evento, tendo abertura oficial com coreografias, grupos e bandas, conservando sempre os costumes dando espaço para os artistas da terra, além das bandas de renomes. Não faltando porém as grandes atrações que é a mulinha, o bumba-meu-boi, trio tapa jegue e apresentações de blocos, estes vêem aumentando o número de componentes do município e toda região.

Festas Juninas
Evento religioso com características populares. Ocorrem missas e é realizada grande festa nas ruas, apresentações de quadrilhas nas escolas e a quadrilha do IESFA que acontece na Quadra Municipal Poliesportiva, atraindo várias pessoas da comunidade e visitantes que podem apreciar também comidas e bebidas típicas. Local: Ruas da cidade, escolas, povoados...
Organização: Prefeitura Municipal de Várzea do Poço

Forró da dona Corina
O forró é uma festa muito divertida e familiar, os moradores da rua dona corina todos os anos em época de são joão se juntam e com o apoio da prefeitura municipal realizam uma grande comemoração onde os moradores colocam comidas típicas e licores.
Semana Cultural


A realização da Semana de Cultura do município de Várzea do Poço, acontece anualmente na última semana do mês de Julho, com duração de cinco (05) dias, onde também é comemorado a emancipação política. A primeira Semana de Cultura foi realizada em 2001 com o projeto pedagógico, cujo tema secundário era “Nosso Planeta Pede Socorro”, por obter um resultado grandioso com a participação das escolas e comunidade, em todos os anos a mesma sempre enfatiza um projeto pedagógico, onde é trabalhado com os alunos durante todo ano. O evento constitui-se num instrumento de promoção, fortalecimento e sustentabilidade das manifestações da cultura e da arte popular, criando espaços de fomento e debates em torno das políticas públicas, para valorizar a cultura enquanto elemento de desenvolvimento sustentável e solidário.

Festa Folclórica do Alto Alegre
A 1ª Festa Folclórica do Alto Alegre foi feita pela professora Nazaré com um grupo de jovens para comemorar o dia do folclore com uma quadrilha que por sinal foi o suficiente para marcar essa data. No ano seguinte Valdenor Ferreira Barros, mais conhecido por Tito, vendo a importância da mesma tomou a iniciativa e articulou um grupo de amigos para realizar a festa, mas um pouco diferente, sendo três dias de gincana com atividades sobre o folclore. A noite festa dançante com apresentação de artistas da terra. O evento conta com a participação de toda comunidade e cidades vizinhas é considerada uma das melhores festas do município. Cavalgadas
As cavalgadas é uma tradição muito antiga no município, antigamente muitas pessoas dos povoados e zona rural vinham em cavalgadas na sexta feira dia de feira livre, pela manhã só se via vários grupos de cavaleiros passarem para feira e só retornavam à tarde hoje em dia com os carros de frete essa tradição está quase acabando. Cavalgada da Gitirana A cavalgada da Fazenda Gitirana, também conhecida como a cavalgada de Loro, acontece todos os anos no mês de Agosto desde o ano de 2000. O ponto de encontro dos cavaleiros é na praça Edvaldo Valois, praça principal, saem todos enfileirados pelas ruas da cidade, conduzidos pelas amazonas e um carro de som com músicas de vaqueiro em direção a Fazenda Gitirana que fica a 4 km da cidade , lá acontecem as apresentações dos cavaleiros para concorrerem à varias premiações. A noite é encerrada com uma grande festa dançante. Encontro de Amazonas e Cavalgada O 1° Encontro de Amazonas no município foi organizada pela Professora Cíntia e sua amiga Marlí, foi marcante, conseguimos reunir amazonas de vários municípios vizinhos como: Várzea da Roça, Cigana(Piritiba), Mocambo(Miguel Calmom), Angico(Mairi), Umbuzeiro( Mundo Novo ) comunidades da zona rural e sede. O encontro da amazonas foi no povoado de Itapoan,( município de Várzea do Poço ) e de forma ordenada com o apoio da Polícia Militar, vieram em cavalgada passando pelas ruas principais da cidade, deixando os moradores felizes, pois de acordo com o público foi uma das festas de cavalo mais organizada. A noite a parada com uma grande festa dançante no Campo do Gado Municipal. Cavalgada e Encontro de Vaqueiros da Fazenda Batateira. É uma festa que reúne vaqueiros de vários municípios.

Festa de Padroeiros:
As festas religiosas foram, ao longo da história de Várzea do Poço, as manifestações populares que mais se destacaram.
Festa de Padroeiro São Francisco de Assis. As homenagens ao Padroeiro da cidade “São Francisco de Assis”. São realizadas novenas, missas, quermesses, apresentações culturais, com a participação da comunidade”.
Local: Igreja São Francisco de Assis
Organização: Equipe Paroquial


Festas de Reis:
As festas de Reis e Samba geralmente são realizadas em algumas fazendas do município. Alguns sambas famosos como Samba de Rico, de Vanginho, Pedro Ferreira, Luizinho, infelizmente acabaram . Mas a cultura ainda é forte, nas fazendas do Senhor Nelson, Sr Lelé e outros se realiza o samba e as comemorações de Reis, além dos grupos de sambadores e bandas de pífano existentes no município que se apresentam nas festas vêem outros grupos das cidades vizinhas.
Bandas/cantores:
Banda Fulô da Caçutinga
Banda Badauê
Carlos Lima
Os Biniditos
Banda Molequeira do Pagode
Ezinho e Grupo Oázes
Paulo José Ferreira
Edelmir Barreto
Tâmara Nunes
Ricardo e Marcleide
Grupo de cantiga de roda
Grupos de Sambadores
Bandas de Pífano

Artesanatos:
Trançado de Palha de ouricuri
Crochê
Bordado
Pintura em tecido
Pintura em tela
Bonecas de Pano

Culinária:
Beiju
Pamonha
Cocadas caseiras
Doces de leite
Acarajé
Biscoitos caseiros
Quebra queixo
Licor
Temperos

Plantas Nativas:
Palma, Licuri, Mandacarú, Cajú, Gobiraba, Jaboticaba, Umbu, Maracujá e Gravatá;

Animais Nativos:
Nico, Raposa, Jibóia, Preá, Coelho e Siriema.


Pintura em tecido
Pintura em tela
Bonecas de Pano

Culinária:
Beiju
Pamonha
Cocadas caseiras
Doces de leite
Acarajé
Biscoitos caseiros
Quebra queixo
Licor
Temperos

Plantas Nativas:
Palma, Licuri, Mandacarú, Cajú, Gobiraba, Jaboticaba, Umbu, Maracujá e Gravatá;

Animais Nativos:
Nico, Raposa, Jibóia, Preá, Coelho e Siriema.

Fonte: Pensar Filmes e IBGE

Post: 16 | Visitas: 33

Design: Catu Informática | Ediomário Catureba

Rua Joel Campos, 125 - Alto de Guinho - Baixa Grande - BA

E-mail: ediomario@baixagrande.net - Tel: 74 99962 3779


utilizadores online