Ipirá (BA) Brasil

Ipirá é um dos município pertencente ao Território de identidade Bacia do Jacuipe, município brasileiro do estado da Bahia. Sua população contada em 2010 é de 59.343 habitantes, segundo último censo demográfico. População estimada 2013 é de 62.253

Prefeito: MARCELO ANTONIO SANTOS BRANDAO (DEM)
Aniversário: 20 de abril
Fundação: 20 de abril 1855
Gentílico: ipiraense

TELEFONIA MÓVEL:

(75) Claro, Tim e Vivo.

Localização e Geografia:
Ipirá é uma cidade histórica da Bahia. Distante 202 Km de Salvador, as margens da BA 052 - Estrada do Feijão com altitude em torno de 330 m. Município da Bacia do Jacuípe limita-se ao Norte com Pintadas e Pé de Serra; ao Leste com Riachão do Jacuípe e Serra Preta; ao Sul/Sudeste com Rafael Jambeiro; ao Oeste com Itaberaba, Rui Barbosa, Macajuba e Baixa Grande.

Potenciais Turísticos:
Monte Alto, onde tem uma capela que é muito visitada durante a Semana Santa.
Mata da Caboronga.
Aspectos sócios-econômicos:
Principais atividades econômicas
Pecuária: Presentemente de boa seleção, tanto no gado para corte, e principalmente para a produção de leite, sendo considerado o quarto produtor deste produto no Estado da Bahia.

Indústria: Ressalta-se a industria de grande porte Calçados Paquetá. Existem outras indústrias e fábricas que exportam grande variedades de produtos manufaturados, como sejam: de chapéus, vestimenta para vaqueiros, selas; tem fábricas de carteiras, de carroceria e moveis de estilo, de ração e agro-suina.

Agricultura: Agricultura de subsistência baseada no cultivo de milho, feijão, hortaliças e verduras.

Identidade cultural dos municípios:

Origem do nome
Indígena, Ipirá significa Rio de Peixe.
Histórico
Ipirá é um dos lugares mais antigos do estado da Bahia. Suas terras são conhecidas desde o século XVI. Seus primitivos habitantes eram índios Paiaiás, uma ramificação da tribo dos Tupis.
Em 1654, o clima de inquietação provocado pelos índios ainda perdurava, quando o Governador ordenou uma entrada comandada por Gaspar Rodrigues Adorno e Tomé Dias Laços, que conseguiram sanar, em parte, o levante.
Com a expansão da criação de gado, foram criados alguns ranchos, e dentre eles o do Homem do Camisão, que não era vocacionalmente um vaqueiro, e sim um estalajedeiro, curandeiro de renome, porque conhecia a eficácia das plantas medicinais.
Alguns relatos de historiadores falam também da Casa das Missões Jesuítas, que ficava na malhada do rancho do homem do camisão.
Com o passar do tempo varia casas foram surgindo ao redor do rancho, que foi elevado a categoria de povoado e depois a freguesia de Santana do Camisão, seguindo a história freguesia tornou-se vila e em 20 de Abril de 1855 se emancipou de Feira de Santana, passando a ser chamado de Camisão. Em 20 de Julho de 1931 Camisão passou a ser chamado Ipirá.
Principais manifestações culturais:

Festas religiosas
Procissão Nossa Senhora Santana.

Festas populares
Festa Junina.

Patrimônio Cultural (Material e Imaterial):

Material:
Residência da família Ribeiro Lima
Capela do Monte Belo
Sede da Fazenda Sitio da Mata (povoado de Nova Brasília)
Mosaico do prédio da antiga biblioteca municipal.
Igreja Matriz Nossa Senhora Santana
Capela do Monte Alto.

Imaterial:
Festejos de Semana Santa.
Caminhada Ecológica de 1° de Maio.
Lenda do Lobisomem.
Lenda da Mulher de Branco.

Fontes: Pensar Filmes e IBGE

Post: 6 | Visitas: 73

Design: Catu Informática | Ediomário Catureba

Rua Joel Campos, 125 - Alto de Guinho - Baixa Grande - BA

E-mail: ediomario@baixagrande.net - Tel: 74 99962 3779


utilizadores online