O que está procurando?

Post: 5 - | - Visitas: 75 - | - Data: 12/11/2017

História do Distrito de Mandacaru

O Documentário “Comentário de Mandacaru” faz parente de um trabalho escolar realizado por: Valira, Iomaci, Reijane Suzane, Geilza, Geiziane, Helena, Terezinha, Martiete, Tamires, Silvani, Aniele, Carla, Mauricio, Isac, Simone, Vanessa, Sandro, Renato, Licicléia, Camila e Willian.solicitado pela professora: Elionara.

Neste trabalho encontra entrevistas com principais personalidades do Povoado de Mandacaru – Baixa Grande – BA, os mesmo contam como surgiu o povoado, sua feira livre, cultura, educação, saúde e desenvolvimento.

Dados Pessoais: Colégio Municipal de Mandacaru

Data: 17 de setembro de 2005

 

A História do Distrito de Mandacaru

A vida em Mandacaru é uma tranquilidade. Só tem uma coisa que perturba os morados da nossa região é a falta de emprego, pois a comunidade é pobre, onde os jovens precisam se deslocar para cidade, pois trabalho naquela localidade é escasso, eles vão para a cidade á procura de melhoria de trabalho.

A liberdade em Mandacaru está cada vez mais difícil, pois a marginalidade está cada vez mais se evoluindo tirando a paz das pessoas. Que saudade da minha terra?Quero voltar para o meu sertão canta canário, piu, piu, piu, piu deixa a saudade presa no meu coração canta sabiá para amanhecer.

Olha que Mandacaru este no meu coração, nunca vê mulher bonita.

O Sr. Apolônio foi fundador e os outros, foram os seus ajudadores: O Sr. Esperdião fundou o açougue, Sr Odilon com Ferreiro, Sr. Ausindo, e o Sr. Amadeu começaram com ma bar, Roque na mercearia, Otavio na padaria, Gelinho e companheiro e canta chula e Candio cortando lenha e cantando na vaquejada, deixa a saudade no meu coração, canta cigarra ao anoitecer, cantar sabiá para amanhecer.

Os vaqueiros daqui vivem cuidando de boi na estrada, era o Sr. Dino e Lixandrino comandava o restante dos piões.

O maior esporte da região é a vaquejada, onde os piões gritam. Eu quero uma mulher bonita, pra eu dançar forró, com uma cerveja gelada e mudar a situação hoje se transporta boi em cima de caminhões, canta canário ao anoitecer, canta sabiá para amanhecer.

 

Como surgiu o nome de Mandacaru

 

Havia um lugar que só tinha mata e mandacaru. Foi aí que surgiu o nome mandacaru.

Quem fez a casa que era de seu Apolônio, foi o Sr Mané Ferreira, ele morou e depois o Sr Apolônio comprou na mão dele.

João de Felipe se deslocava da viração para matar boi em Mandacaru. O Sr Apolônio foi o primeiro comerciante e dono de padaria era Zeferino.

Os primeiro matador de boi era José e São de Felipe mudou muita coisa do temo de antes para o de hoje, por exemplo se o rapaz fosse sobre casamento, as moças choravam, porque não sabia, o que era casamento.Pois a s moças de hoje, é ao contrario hoje, as moças ficar tudo doida, quando um rapaz fala em casamento.

Antes todos os pais colocavam os filhos para trabalhar e não deixava estudar, pois dizia que era para os filhos aprender a trabalhar, ao contrário de hoje, os filhos que não querem estudar e nem trabalhar. Antigamente a vida era muito difícil para sobreviver, tinha que trabalhar, as moças poderia sair sozinha e hoje não pode sair sozinha, sem os pais, tem coisa que hoje é bom e tem coisa que é ruim, principalmente a liberdade que nos não temos.

Antes a feira do sábado era em Baixa Grande e no domingo era em viração. Sabemos que Sr.Apolônio tinha comércio e viração e quando ele passou a mora aqui ele colocou o comércio aqui e com o passar do tempo a feira passou ser em Mandacaru. Os matadores de boi era aqui e transportava para viração para eles, era uma dificuldade, então seu Apolônio , viu que o povo estava sofrendo muito, e no dia d domingo ele anunciava aos povos que a feira ia ser em Mandacaru, os povo ficou muito contente, antes de qualquer decisão, tinha que falar com seu Apolônio, ele era uma pessoa muito alegre e gentil , todos as pessoas gostava dele, ninguém falava mal dele.Nos momentos mais difícil do povo, ele estava presente, para ajudar.

Os primeiro carros foi um caminhão que era d Nego Soares. Os primeiro pedreiro foi João de Otique. Otavio ele fez uma três casa quando seu Roque o avô de Rejane colocou venda aqui já três vendas. Os principais da história de Mandacaru é o Sr. Apolônio, Nascimento Menezinho, Ismael, Roque, Amadeus e Ausindo.

No lugar da igreja Católica era uma venda de Manezinho depois caiu e fez essa igreja que foi o Padre que fez.

Antes não tinha mercado, o povo que matava boi, colocava uma pau na frente da padaria de Sérgio e quando as pessoas trazia uma boi ou porco amarrava no pau, colocava uma andeja na rua, para pesar o animal e era feira livre.

A primeira escola quem fundou foi o Sr Domingo de Amorim, com o apoio do prefeito Bionor. A primeira professora foi Dute.

A história de Mandacaru é muito grande se aqui fosse bem desenvolvido, não precisaria os jovens saírem, á procura de trabalho em outro lugar.

O Mandacaru tem que crescer!

No ano de 1936, uma jovem recém-casada, resolveu ir morar numa área de Baíxa Grande chamado Mandacaru. O nome do Rapaz era Apolônio Gonçalves d Oliveira, nascido em 19 de janeiro de 1904, tinha adquirido suas terras em 1933, mas esperava o casamento para se mudar. ”Quando cheguei aqui só tinha uma casa velha,com porta e janela.Reformei a casa toda, coloquei um bodega e resolvi continuar”. O nome da região era Mandacaru, devido á antiga fazenda assim nomeada, que assim foi chamada graças á mata de Mandacaru, que possuía naquelas terras. A fazenda Mandacaru pertencia á D.Francisquinha, da família de Inácio Rios, professores de Viração.

Apolônio chegou em Mandacaru em 36 e abriu o bodega, mas não se contentou,quatro anos depois.considerou possível uma feira no mesmo lugar.”E coloquei um bodega para reunir as pessoas, marquei um domingo para a realização uma feira”.Pode parecer estranho aos ouvidos de pessoas não visionário, mas o fato é que a humanidade chegou ao estágio graça a essa busca.

“ Vocês que quiserem comprar alguma coisa vem, pois aqui tem de tudo, e quem quiser vender qualquer mercadoria com: carne ou cereais, pode trazer também que junto vamos formar uma feira livre aos domingos”

Dizia Apolônio, era na época de 40, Vargas governava a dita dura do Estado Novo, enquanto o país um turbilhão de acontecimento que o mudavam decisivamente, Apolônio e seus amigos iniciavam a mudança de parte da zona rural de Baixa Grande.

Após cinco anos de feira, com os moradores da redondeza vendemos e compramos os mais diversos produtos e cada vez pessoas se interesse por aquela feira no meio das terras abertas. Começaram a surgir as primeira casa. As terás que hoje são ao lado direito da vila de Mandacaru pertencia ao Sr. Apolônio, que as doou para quem quisesse, construir suas casas. Os primeiro moradores foram Nascimento Soares, Cerilo Sena e Amadeu Rodrigues. E seguida, a vila foi aos poucos se tornando povoados e adquirindo instituições.

A escola foi por muito tempo o principal espaço de Mandacaru. Construída no ano de 54, pelo intermédio de Isalino Matos, nela vários Padres da região celebram missas e casamentos. Até que em 73, juntos com os Italianos, o Padre Pedro e o Padre Amadeu, Apolônio coordenou a construção da Igreja Católica, sendo as obras financiadas por dinheiro, fornecidas pelos Padres.

O mercado, foi o prêmio merecido para a feira de Mandacaru, também teve a coordenação e Apolônio, mas os pedreiros eram de Baixa Grande.

Hoje, Mandacaru é a segunda Vila do Município, tem outras igrejas, tem posto telefônico e casas afastadas de formas descuidada, parecendo um pequeno lugarejo perdido entre fazendas. Contudo, Mandacaru é o resultado de homens confiantes erguendo um lugar Próprio para viver em comunidade.

Poucos conseguirão como os primeiros feirantes dessa terra, transformar em espaço social uma “Floresta de cactos.

O nome da região é Mandacaru devido a uma antiga fazenda, assim foi chamada graças a mata de mandacaru que havia naquela terra.

Aos 96 anos, Apolônio já tem o corpo cansado, mas permanece respeitado pelas pessoas da Terra. A procura de informações sobre Mandacaru, a equipe do jornal d Baixa Grande sempre escutava.

“Tem que fala com Apolônio, ele sabe a história da aqui”. Pergunta-se a ele, imagine um dia acordar e enxergar uma vila diante do local onde encontrou uma casinha somente com porta e janela relembraria o passado. “Eu via gente chegando pra fazer casa, ai pensei em mais tarde ter um arraia com pessoas para a feira.

“Eu me sinto orgulhoso por ter vindo até aqui e com a minha ajuda ter surgido este lugar”.

A equipe do jornal já estava fora da casa, quando foi chamado pelo velho Apolônio. No retorno, ele abraçou as mãos do repórter e solicitou “ô menino vê se arranja uma estátua comigo pra colocar nesse terreno aí da frente, ai ninguém mexe, é reservado para minha estátua.” O terreno é verdinho, bem cuidado, talvez o melhor espaço da região de Mandacaru. Posicionado em frente á casa d Apolônio, é a estrada da vila.

Todos os dados desta matéria foram extraídos de entrevista com o Sr. Apolônio Gonçalves de Oliveira.

 

O povoado de Mandacaru

Em Mandacaru houve uma grande mudança, porque antigamente não tinha telefone e hoje encontra telefone Publico só que os cuidados são poucos.

As bancadas estão quebrando, hoje encontra várias árvores, a rua está calçadas e precisa de mais higiene.

Na praça tem planta, só que ninguém te cuidado como deveria, e as plantas acaba morrendo.

Hoje encontra mais lar e mais mini-supemercados.

Design: Catu Informática | Ediomário Catureba

Rua Joel Campos, 125 - Alto de Guinho - Baixa Grande - BA

E-mail: ediomario@baixagrande.net - Tel: 74 99962 3779


utilizadores online